Tiffany Haddish, Melissa McCarthy e Elisabeth Moss sobre o quão quente ficou em The Kitchen (Tradução da matéria da EW)

Dirigido por Andrea Berloff e adaptado da série de histórias em quadrinhos da Vertigo com o mesmo nome, The Kitchen é estrelado por Tiffany Haddish, Melissa McCarthy e Elisabeth Moss como esposas da década de 1970 forçadas a governar a Hell’s Kitchen em Nova York na sequência das prisões de seus maridos . Mas, apesar dos nomes na marquise, isso não é uma comédia: o trio de cabelos de penas descarta corpos, se envolve em cobrança implacável de dívidas e utilizam banheiras de maneiras que definitivamente não pretendiam.

As estrelas se reuniram no início deste verão para discutir exatamente o quão quente ficou em The Kitchen.

ENTERTAINMENT WEEKLY: O que atraiu todos vocês para este filme inicialmente?

TIFFANY HADDISH: O que me fez querer atuar como Ruby foi que ela tinha um marido branco. Porque esse é o sonho! [Risos] Não, foi o relacionamento que ela teve com as mulheres. Tudo o que Ruby realmente queria era uma vida melhor para si e ter algum poder. Primeiro você pega o dinheiro, então você pega o poder – não é isso que o Puffy disse?

MELISSA McCARTHY: Isso é exatamente o que Puffy disse para mim.

ELISABETH MOSS: Quando recebi o roteiro, Melissa e Tiffany já estavam ligadas a ele. Foi o primeiro grande trabalho de direção de Andrea Berloff, e o enredo básico pareceu muito legal. Foi um acéfalo.

McCARTHY: Eu adorei o quão confuso o mundo era, que éramos amigos, mas é complicado … No final do filme, não saltamos todos para o ar e temos um quadro congelado.

Houve uma coisa em particular no roteiro que surpreendeu cada um de vocês quando você estava lendo?

McCARTHY: O meu é um spoiler, então não posso falar especificamente sobre isso, mas, nos termos mais gerais, há uma decisão que eu faço no filme que realmente me dá calafrios e eu pensei: “Rapaz, esse é o último lugar que eu pensei meu personagem iria.

Eu acho que conheço a cena que você quer dizer. Foi um dia difícil de fotografar para você em termos das emoções que Cathy enfrenta?

McCARTHY: Cenas como essa sempre estão drenando. Você passa por todos os diferentes níveis e aquilo “do qual não posso falar” é um tipo de seu pior pesadelo; tudo o que você considerou ser sua rede de segurança e toda a sua confiança está quebrando na sua frente. Eu apenas gostei que aquele personagem estava realmente causando um curto-circuito e tudo estava desmoronando.

HADDISH: Fiquei surpreso com o quão inteligente meu personagem era. Mmmmm e é tudo o que tenho a dizer sobre isso.

Você está referenciando algo que acontece no final?

HADDISH: Mmmhmmm Mas ela é inteligente o tempo todo – ela está apenas brincando de mansa.

MOSS: Para mim, honestamente, tudo sobre o personagem foi surpreendente em sua trajetória do começo ao fim. Novamente – spoilers em abundância – há uma reviravolta muito legal de eventos no papel que ela acaba assumindo neste empreendimento com as mulheres. Eu acho que é uma pequena surpresa. Para mim, as surpresas no personagem e as surpresas no relacionamento entre as três mulheres, foi o que tornou o roteiro interessante, inteligente e complicado. Não foi apenas como, três mulheres se reúnem e dirigem o bairro e tudo é fantástico e elas são melhores amigas para sempre porque isso não seria realista nesse mundo. Em Hell’s Kitchen nos anos 70 que comandam a máfia, você não necessariamente se daria bem, então eu achei que era muito mais realista e interessante.

Vocês lembram do seu primeiro dia filmando juntas?

MOSS: Foi no restaurante. Foi uma grande cena também: a cena do restaurante quando percebemos tudo o que está acontecendo.

HADDISH: Quando percebemos que não estamos recebendo nosso dinheiro.

McCARTHY: Foi muito divertido porque a primeira cena com todos nós. Quando há um conjunto tão apertado para começar assim, acho que é ótimo para todos estarem bem, estamos todos começando juntos.

HADDISH: Eu estava tão animada quando trabalhei com você, Melissa, porque havia paparazzi por aí. Eles estavam tirando fotos de nós e você estava me ensinando como bloquear os paparazzi e eu fiquei tipo “Estou aprendendo com os melhores!”

MOSS: Eu senti como se fosse o meu primeiro dia em qualquer set, porque aqui eu estava sentado com Melissa McCarthy e Tiffany Haddish e foi meio que… Você sabe que faz isso por tantos anos e de repente você se encontra em uma situação em que você re realmente sobrecarregada com o fator coolness dele. Eu superei isso, mas eu definitivamente tive no primeiro dia em que eu estava, [risos] isso é muito legal.

Tiffany, como foram as cenas Margo Martindale, a sogra do seu personagem?

HADDISH: Margo é incrível! Ela é super divertida e nós sempre éramos como “f-rei Martindale!” Porque ela é tão boa no que faz e é sempre divertido brincar com ela. Ela é muito engraçada também fora da cena e mesmo nas cenas ela disse algumas coisas e a maneira como ela olha para você, é difícil para mim não rir.

McCARTHY: É tão bom que ela seja tão engraçada, mas Deus é tão difícil. Ela pode ser apenas a mais monstruosa quando ela é a sogra. Eu poderia simplesmente puxar uma cadeira e observar Margo fazer o que fosse – ler o jornal, ler uma lista de números por 24 horas.

MOSS: Eu sinto que houve algumas cenas incríveis em que tivemos um ator incrível, como Bill Camp, e todos nós apenas sentamos juntos e simplesmente temos o prazer de assistir atores incríveis fazendo suas coisas e simplesmente admirados. Foi um dos prazeres do trabalho.

Elisabeth, como foi trabalhar com Domhnall Gleeson?

MOSS: Ele é um exemplo perfeito. Eu me senti tão sortuda.

HADDISH: Que tal essa cena de sexo?

MOSS: Nós não tivemos uma grande cena de sexo. Não foi meio sutil?

HADDISH: Não, não, era como de lado. Parecia que quando você vai dormir e você acorda e ele está empurrando para cima de você.

MOSS: Essa é a sua própria cena que você está imaginando que aconteceu.

HADDISH: Não! Isso aconteceu! Tudo bem, garota.

Vocês têm uma cena favorita que vocês gravaram juntos? Eu amei a cena do clube com todos vocês dançando – e também, Tiffany, toda vez que você atravessou a rua e parou o trânsito foi incrível.

HADDISH: [Risos] Oh, yeahhhh.

MOSS: Ironicamente nós passamos o menor tempo na cena do clube e foi a cena mais divertida de se filmar. É claro que eles dizem “Oh, não, nós só queremos gastar algumas horas com isso”.

McCARTHY: Havia tantos dançarinos incríveis que faziam parte do plano de fundo e realmente, muito estranhamente, parecia que você estava em um clube. Foi super divertido e todos os dançarinos foram incríveis.

MOSS: E os trajes! Foi muito legal.

McCARTHY: E as pessoas correndo de patins? Eu fiquei tipo “Oh meu Deus, eu quero ir a esse clube!”

Essa deve ter sido a festa de encerramento, apenas uma extensão dessa cena!

HADDISH: Garota, sim!

Existe alguma coisa que você espera que o público tenha?

McCARTHY: Eu não sei. Eu acho que é apenas uma boa narrativa? A conclusão é: não corra na multidão e mate pessoas.

HADDISH: O que eu amei no filme é que eu chorei um pouco e depois quis contar a todos sobre isso. Eu gostaria que eles levassem as mulheres – ou apenas os humanos em geral – não importando a situação em que são colocadas, descobrirão como sobreviver. E eu quero que eles digam a todos sobre isso.

Se vocês estivessem administrando uma vizinhança, qual seria a primeira coisa que você faria ou proibiria?

McCARTHY: Salve o mundo e as crianças, claro, mas quando não estivermos fazendo isso, eu gostaria de fazer com que você seja expulso do seu carro quando estiver na parada de quatro vias e sentir a necessidade de diga-me para passar, mesmo que eu esteja apenas chegando. Eu não vou passar por um sinal de parada porque você precisa controlar a situação.

HADDISH: Eu implementaria festas mensais de block. Todo mundo tem que trazer algo bom para comer: uma caçarola, couve, frango frito. Mas se você não trouxer nada ou você não aparecer, é melhor você estar de férias ou indo para o seu rabo.

MOSS: Eu moro em Nova York, e atualmente do outro lado da rua um prédio está sendo construído. Tenho certeza de que vai ser lindo, mas eu apenas mudaria para nenhuma construção antes do meio-dia ou 13h.

HADDISH: Eu conheço alguns gângsteres no seu bairro. Você quer que eu faça uma ligação?

The Kitchen chega aos cinemas em 9 de agosto.

Texto traduzido por: Equipe Elisabeth Moss Brasil

Texto Original: EW

Globo Play anuncia segunda temporada de The Handmaid’s Tale
03.08.19
Matéria publicada por elisabethmossbr

A segunda temporada de já tem data de estreia no serviço de streaming Globo Play, da Rede Globo.

Segundo informações a segunda temporada da série será no dia 09 de agosto, tendo os seus 13 episódio disponibilizados pelo serviço.

A primeira temporada foi um grande sucesso, tendo seu primeiro episódio exibido em TV Aberta, ficando por muito tempo nos trend topics do Twitter.

The Handmaid’s Tale está renovada para a quarta temporada
26.07.19
Matéria publicada por elisabethmossbr

Hoje (26) foi confirmado pelo TV Line e pela Hulu, durante o a turnê de verão da Associação de Críticos de Televisão.

A série retorna no próximo ano para mais alguns episódios, porém ainda não foi revelada a data.

Filme com Elisabeth Moss e Oliver Jackson começa a ser filmado
24.07.19
Matéria publicada por elisabethmossbr

Recentemente foi revelado que Oliver Jackson-Cohen irá estrelar The Invisible Man com Elisabeth Moss, as gravações do filme começaram na semana passada na Austrália.

O longa será lançado pela Universal com parceria com a Blumhouse, e tem previsão de estreia para março de 2020.

Elisabeth Moss é nova afiliada da The Academy
02.07.19
Matéria publicada por elisabethmossbr

Ontem (01) a Academia de Cinema (The Academy), responsável pelo Oscar, anunciou seus novos membros, entre ele está Elisabeth Moss, sendo assim a atriz está na comissão responsável por avaliar e votar em indicados e vencedores do Oscar.

Além de Elisabeth também foram convidados outros profissionais do cinema, entre eles, Tom Holland, Letitia Wright, Lady Gaga, Adele, Winston Duke, entre outros.